Em Processo

FALSA LOURA - TERCEIRO CORTE

 Como afirmou Thelma Schoonmaker (Oscar 2007 de melhor montagem, por "Os Infiltrados") a edição digital trouxe várias vantagens práticas mas também algumas cruéis perversões no processo de finalização de um filme. Ao criar condições de serem feitas rapidamente inúmeras versões do mesmo corte, o recurso viabilizou a interferência ilimitada dos executivos dos grandes estúdios. A montagem analógica tinha a vantagem de obrigar os estranhos à direção e montagem a assistirem o filme na moviola, sempre acompanhados de alguém que os informasse dos sons ainda não editados, dos futuros efeitos especiais ou recursos da linguagem fílmica que só poderiam ser executados na etapa final do processo (como trucagens, por exemplo). Neste contato humano, todas as dúvidas geradas pelas ausências técnicas, que só a finalização absoluta possibilita, eram esclarecidas. Hoje, num primeiro corte, é comum os produtores carregarem um DVD, sem nenhuma nuance pós-edição, para suas casas ou escritórios e ficarem mostrando o filme para colegas, namoradas, parentes, vizinhos e até o padeiro da esquina. Nesta etapa qualquer opinião ingênua, irresponsável, equivocada ou mal intencionada pode destruir um trabalho de muitos anos.
 Já senti na pele o que afirma a montadora de Martin Scorsese. Quando GAROTAS DO ABC estava com o corte, que eu e a montadora considerávamos definitivo, o filme foi mostrado a alguns possíveis distribuidores nacionais e estrangeiros. A opinião unânime era de que nenhum exibidor iria se interessar por um filme de 150 minutos. Como bem afirma a montadora Cristina Amaral, até hoje, o que mais prejudicou GAROTAS DO ABC foi o excesso de interferência externa. Parece inacreditável, mas cheguei a ouvir -  após a mixagem da versão de 105 minutos - da boca de um destes mesmos experts em comercialização, que na primeira e apressada avaliação reclamou do tempo, que nós deveríamos ter batido o pé e mantido o tempo original; que, com 150 minutos, o filme era genial. E a mãe do cidadão, como é que fica?
 Lembro também do que narrou Truffaut, em seus diários de "FAHRENHEIT 451 ", publicados no Cahiers du Cinema. Truffaut afirmava que a única pessoa a quem ele fazia questão de mostrar seu primeiro corte, ainda na moviola, era para Jean Aurel, um conhecido velho artesão do cinema francês. Se Aurel saísse com dúvidas a respeito do que Truffaut queria dizer com essa ou aquela cena, o diretor de "Noite Americana" voltava para a moviola e mexia no filme. O expediente não apontava nenhum sopro de humildade por parte de Truffaut, mas a sua extrema perspicácia; para Truffaut, Aurel sabia (mais do que ele) enxergar as arestas e os vazios da narrativa. Aurel conhecia, como poucos, o gosto, as espectativas e os limites de percepção do público A, B e C francês.
 Confesso que não encontrei um Aurel brasileiro que me inspírasse tamanha confiança. Talvez, se eu tivesse mais intimidade com o falecido Carlos Coimbra, e o elegesse meu conselheiro casual. Além de excelente montador, Coimbra detectava o gosto médio como poucos.
 Assim que dou a montagem como definitiva mostro somente para duas ou tres pessoas mais próximas e cuja opinião confio plenamente. Confesso que busco sempre amigos que compartilhem comigo de um mesmo repertório; é, inclusive, o que eu busco nos meus primeiros assistentes de direção. O que adiantaria trabalhar, ou confiar meu material bruto ou ainda em processo, a alguém que não conheça e ame Fritz Lang, Imamura, Zurlini, Robert Rossen e/ou Luis Sérgio Person?
 Talvez, por esta razão, eu tenha feito uma imprudência ao mostrar o segundo corte de FALSA LOURA para a minha filha Eleonora, de 28 anos, cuja profissão e formação cultural é outra e,sobretudo, que atualmente está vivenciando algo especial em sua sua vida; a primeira gravidez. O que poderia esperar dela, diante de um filme cujo desfecho é um soco no estômago. Naquele momento e na minha cabeça, vingou a idéia de que entre pais e filhos não existem virulas. Algumas coisas que ouvi dela me tiraram do sério, num primeiro momento. Sempre saio destas experiências com a impressão de que a humanidade ficou mais burra; de que o cinema está cada vez mais subserviente ao mau naturalismo da televisão. Mas passado os primeiros instantes de perplexidade, pincei três dúvidas dela, que a narrativa não esclarecia, e que me deixaram sem dormir aquela noite. No dia seguinte liguei para a montadora Cristina Amaral e conversamos longamente sobre aquelas observações.
 FALSA LOURA, desde a gênese do roteiro, foi concebido como um filme cheio de elipses, nuances psicológicas apenas sugeridas e com uma predominância gradativa da música até o momento em que ela passa a substituir literalmente os diálogos. É evidente que as complexas condições econômicas e práticas da realização chegaram a afetar o processo narrativo. No entanto, nunca me passou pela cabeça que o desfecho deste filme pudesse parecer (a quem quer que seja) realista. Na minha cabeça, todos os minutos finais de FALSA LOURA deveriam sugerir um pesadelo à luz do dia, um autêntico delírio da protagonista. Ao mesmo tempo, não quis usar recursos óbvios  de trucagem que empobrecessem a narrativa (do tipo transformar digitalmente as cenas capitais da última seqüência em "ondas"). O máximo que fiz foi ralentar as cenas para 120 quadros por segundo. Parece que o recurso não funcionou e daí a necessidade de explicar o óbvio.
 Conclusão: nem eu, nem a montadora, estamos interessados no óbvio. Se as poucas pessoas - que são espectadores normais e não cinéfilas - não entenderam que aquilo era imaginação da protagonista, é porque alguma coisa estava errada; portanto, é preciso mudar o desfecho, sem deixar que ele perca o impacto que justifique a sua existência como filme.
 Em resumo, é isso que eu e Cristina Amaral estaremos fazendo amanhã, na ilha de edição. Quem viver, verá!



Escrito por Carlos Reichenbach às 01h57
[]


 
   INFORME

NÃO HAVERÁ SESSÃO DO COMODORO EM MARÇO

 Devido a problemas com reposição de filmes e sessões que foram suspensas durante a Mostra John Cassavetes, não haverá em março a tradicional Sessão Única do Comodoro, no CineSesc, que talvez só retorne em maio devido ao Festival dos Melhores do Ano, no mês de abril.


DE PAI PARA FILHO

 E-mail enviado ao editor por seu filho Leonel Reichenbach:
"Pai!!! Segue a foto do fim de semana no Guarujá, para você ter orgulho dos investimentos feito no teu filho."



Escrito por Carlos Reichenbach às 02h54
[]


 
   Jogo Rápido

NOVOS ENDEREÇOS ANEXADOS
AOS LINKS DA OLHOS LIVRES
http://www.olhoslivres.com/links.htm

STRAVAGANZA (de Walner Silvestre)
http://stravaganza70.blogspot.com

NA MINHA ROLLEIFLEX (de Alexandre Carvalho dos Santos)
http://www.interney.net/blogs/rolleiflex


COMENTÁRIO RÁPIDO SOBRE A FESTA DE HOLLYWOOD

 Não fossem as premiações a OS INFILTRADOS, o show das atrizes de "Dreamgirls", a "pontuação" esporádica e genial do grupo de ballet, o discurso em italiano (com tradução simultânea de Clint Eastwood) do genial Ennio Morricone, a descontração da ganhadora do prêmio de melhor canção dedicando o seu Oscar a sua esposa, a classe das senhoras William Friedkin (Sherry Lansing) e Taylor Hackford (Helen Mirren) e as informações sempre bem vindas do Rubens Ewald, as três horas e meia de transmissão da entrega do Oscar seriam do mais profundo tédio.
 Destaque negativo para  aquele clipe horroroso que abriu a premiação. Se isso foi uma tentativa de "modernizar" a festa anual, que seja ressuscitada urgentemente a austeridade do evento antes da "ditadura" da televisão.
 Ver o magistral Peter O´Toole perder seu enésimo Oscar foi deprimente. E alguém consegue explicar o surto de Forest Whitaker na hora de agradecer o prêmio, que não merecia ? O ator parecia estar sob o efeito de Gardenal e fez o discurso mais enigmático da noite. Por outro lado o entusiasmo da novata e "robusta" Jennifer Hudson foi comovente; de longe, a figura mais sensual da festa; excetuando-se, claro, sua companheira de elenco, Beyoncé Knowles, a verdadeira vestal da noite.



Escrito por Carlos Reichenbach às 21h16
[]


 
   Música Como Cinema

MAIS RARIDADES

LACHO - UM CLÁSSICO DA MÚSICA CUBANA
(a gravação de Ruth Fernandez foi utilizada como tema de abertura do filme IMPÉRIO DO DESEJO)
01
Celia Cruz & Tito Puente
http://www.4shared.com/file/11267936/a9e72834/Celia_Cruz_e_orquestra_de_Tito_Puente_-_Lacho.html
02
Ruth Fernandez & Obdulio Morales
http://www.4shared.com/file/11267725/236b65c5/Ruth_Fernadez_e_orquestra_de_Obdulio_Morales_-_Lacho.html


- colaboração da fiel do REDUTO, Margarida Giovenazzi
RARIDADE - DIGITALIZADA À PARTIR DE LP 33 ROTAÇÕES
SOUZA LIMA INTERPRETA HECKEL TAVAREZ
(foi esta gravação que foi utilizada na trilha sonora do filme A GRANDE CIDADE, de Carlos Diegues)
Concerto para Piano e Orquestra Sobre Temas Brasileiros


01
http://www.4shared.com/file/11229127/dcb7a9a8/01_-_Primeiro_Movimento_-_Tempo_de_Batuque.html
02
http://www.4shared.com/file/11229048/1b907988/02_-_Segundo_Movimento_-_Largo.html
03
http://www.4shared.com/file/11228937/7303ae34/03_-_Terceiro_Movimento_-_Lento_mas_Vigoroso.html



Escrito por Carlos Reichenbach às 17h24
[]


 
  [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
HISTÓRICO
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 18/02/2007 a 24/02/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 26/11/2006 a 02/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 05/11/2006 a 11/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006
 09/07/2006 a 15/07/2006
 02/07/2006 a 08/07/2006
 25/06/2006 a 01/07/2006
 18/06/2006 a 24/06/2006
 11/06/2006 a 17/06/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 14/05/2006 a 20/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 30/04/2006 a 06/05/2006
 23/04/2006 a 29/04/2006
 16/04/2006 a 22/04/2006
 09/04/2006 a 15/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 19/03/2006 a 25/03/2006
 12/03/2006 a 18/03/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 05/02/2006 a 11/02/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 08/01/2006 a 14/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 04/12/2005 a 10/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 20/11/2005 a 26/11/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005
 02/10/2005 a 08/10/2005
 25/09/2005 a 01/10/2005
 18/09/2005 a 24/09/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 28/08/2005 a 03/09/2005
 21/08/2005 a 27/08/2005
 14/08/2005 a 20/08/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 17/07/2005 a 23/07/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 19/06/2005 a 25/06/2005
 12/06/2005 a 18/06/2005
 05/06/2005 a 11/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005
 22/05/2005 a 28/05/2005
 15/05/2005 a 21/05/2005
 08/05/2005 a 14/05/2005
 01/05/2005 a 07/05/2005
 24/04/2005 a 30/04/2005
 17/04/2005 a 23/04/2005
 10/04/2005 a 16/04/2005
 03/04/2005 a 09/04/2005
 27/03/2005 a 02/04/2005
 20/03/2005 a 26/03/2005
 13/03/2005 a 19/03/2005
 06/03/2005 a 12/03/2005
 20/02/2005 a 26/02/2005
 13/02/2005 a 19/02/2005
 06/02/2005 a 12/02/2005



OUTROS SITES
 TODOS OS LINKS CONSULTADOS E VISITADOS PELO REDUTO DO COMODORO
 LINKS RÁPIDOS [DE PESQUISA]
 OLHOS LIVRES - o site de Carlos Reichenbach
 REDUTO DO COMORO - Ampliado no site OLHOS LIVRES
 REDUTO DO COMODORO 2004
 O ESSENCIAL DO FILME NOIR
 O ESSENCIAL DO FAROESTE AMERICANO
 O ESSENCIAL DO FILME DE GANGSTER
 O ESSENCIAL DO FAROESTE SPAGUETTI
 O ESSENCIAL DO FILME MUSICAL AMERICANO
 O ESSENCIAL DO CINEMA EXTREMO
 O ESSENCIAL DO FILME FANTÁSTICO E DE HORROR PARTE 1
 O ESSENCIAL DO CINEMA FANTÁSTICO E DO FILME DE HORROR - ANOS 60
 O ESSENCIAL DO CINEMA FANTÁSTICO E DO FILME DE HORROR - ANOS 70
 O ESSENCIAL DO CINEMA FANTÁSTICO E DO FILME DE HORROR - ANOS 80
 PERFORMANCES ANTOLÓGICAS DO CINEMA BRASILEIRO


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!